Porque a humildade é sua maior aliada quando o ego se torna seu inimigo

 

Você também já deve ter visto muitas pessoas que conquistaram grandes coisas, teoricamente atingiram o sucesso vivendo sua arte, mas depois estagnaram, perderam isso e acabaram ficando pra trás…

Isso sempre me chamou a atenção… eu conhecia pessoas incríveis, as achava o máximo, e depois simplesmente elas se tornavam normais de novo. Não conseguia entender, não sabia o porquê, era demais para uma cabeça jovem e imatura… mas desde então criei a consciência de que para essa estatística eu não queria entrar.

Hoje eu estudo muito sobre relacionamento e a arte de se conectar com as pessoas, não só por essa curiosidade e inquietação antiga, mas também porque esses temas influenciam diretamente meu trabalho.

Como eu imagino que você também não gostaria de entrar para essa estatística (quem quer?), resolvi escrever e compartilhar aqui meus pensamentos, estudos e conclusões sobre o assunto…

Por que tantas pessoas sobem até um certo nível mas depois simplesmente não conseguem mais continuar evoluindo?

Porque elas optam por parar de aprender.

Por quê? Excesso de ego e falta de humildade.

Por quê?

Um dos grandes problemas que encontramos no caminho da realização de algo é aprender a lidar com o mundo externo que está sempre tentando nos barrar, tentando nos fazer entrar na fila e seguir a manada.

As grandes personalidades, aquelas pessoas que realmente se destacam por chegarem onde querem e serem quem elas querem ser, fazem o que? Dizem não… chega! Elas calam o mundo para não terem que se calar.

Não é fácil tomar essa decisão e agir. Pré requisito básico obviamente é saber quem você quer ser e onde quer chegar, mas isso também não basta… tem que ter um impulso: muita autoconfiança. Ou você confia no seu taco ou o mundo te engole.

Assim começa o jogo que para você ser livre e ser quem você quer ser: precisa se provar pro mundo. Ou você se prova ou ele te puxa de volta para a fila.

Sempre que queremos ser autênticos (o que para o mundo já significa ousar) entramos nesse jogo de sobrevivência. E para vencê-lo, SIM, você precisa ser egoísta, precisa fortalecer seu ego, focar em si mesmo e ignorar o que vem de fora.

Isso é lindo, mas ao mesmo tempo perigoso, e é aí que muita gente perde a mão… perde os olhos e ouvidos pro mundo. O ego começa a inflar e as oportunidades, a passar.

Isso porque ele é o defensor da nossa personalidade. O ego é responsável pela diferenciação que o indivíduo é capaz de fazer entre seus próprios processos interiores (seus desejos) e a realidade que lhe é apresentada, imposta. Ele impede que o que está no nosso inconsciente passe pro campo da consciência, e assim acaba nos enganando, criando nossas ilusões e nos limitando.

Eu vejo assim: o ego é o impulso, ele nos faz dar a partida, falar não, acreditar em nós mesmos e seguir em frente. Mas só. Depois disso fica perigoso, e o jogo não pode mais depender dele… é um passo pro campo da ilusão, que leva à estagnação.

Reforçando: sim, para atingir o seu sucesso você precisa ser egoísta (não em detrimento do outro, mas a seu favor), desde que isso não afete a sua inteligência em perceber que, ao lado de um ego forte tem que estar a humildade.

Ser humilde não apenas demonstra sua força e segurança interior, mas também que você está preparado pra continuar crescendo nas suas decisões. Quando você assume sua humildade você reconhece sua própria ignorância e se permite aprender com ela.

“Só sei que nada sei, e o fato de saber isso, me coloca em vantagem sobre aqueles que acham que sabem alguma coisa.” – Sócrates

O ponto não é querer ser um ignorante, mas se reconhecer como tal sempre que necessário, assumir essa postura para aí sim matar a ignorância. Essa é a porta de entrada para o conhecimento e, consequentemente, pra liberdade e pro crescimento.

Por mais que possa soar contraditório, essas certamente são qualidades que você tem que ter se quiser se diferenciar e ter sucesso de verdade nas coisas que faz: ego forte acompanhado de muita humildade.

E não é só ter, você precisa dosar, sintonizar e masterizar essas habilidades. Porque assim como o ego te dá impulso, ele pode te fazer cair. Um dia ele começa como seu amigo e no outro pode se tornar seu maior inimigo, simplesmente porque ele te afasta das pessoas e do conhecimento.

É sempre assim, à medida que seu ego vai inflando você vai diminuindo as pessoas ao seu redor e se desconectando delas.

Começa com a desvalorização do outro e insucesso nas suas relações, mas pensando na sua arte, na vontade de se diferenciar para poder vivê-la de forma plena, o pior que seu ego pode fazer por você é deixá-lo estagnar… deixá-lo parar de aprender por uma ilusão, a de que as respostas estão mais em si do que nos outros e no mundo.

Muita gente aposta no próprio ego porque acha que isso é ser forte (de novo tentando se provar) e que assumir uma postura humilde é enaltecer suas fraquezas – como se isso fosse algo negativo (fraqueza = fracasso).

Mas eu vejo o oposto, porque a pessoa segura de si não precisa se provar, a preocupação dela está em ser inteligente e evoluir, apenas isso.

Não importa onde você esteja e o que já tenha conquistado, você só vai conseguir continuar crescendo se escolher viver como um aprendiz. Pode até soar clichê, mas é o que eu acredito… um eterno aprendiz e, ao mesmo tempo, um eterno ignorante… não porque não saiba nada, mas porque admiravelmente reconhece que tem muito que não sabe ou, simplesmente, que sempre pode saber mais.

A maestria vem disso, de você estar sempre afinando as arestas, se renovando e ajeitando o caminho. E daí vem também o sucesso (independente do que seja exatamente sucesso pra você): ele só é possível quando você entende que não tem linha de chegada e que sempre vai existir um próximo passo, quando independente do nível em que você se encontra você se abre para outras perspectivas, para ver também o que só o olhar do outro pode revelar.

Isso é ser humilde e isso é se dar a chance de ir longe na vida. Isso é se preocupar não mais em alimentar seu ego, mas em cultivar seu poder.

“A vida não é sobre provarmos nosso valor, mas sobre o realizarmos” – Luminita Saviuc

Quando as ideias que temos de nós mesmos passam a se inflar demais isso se torna uma barreira, e aí não estamos mais falando só de estagnar, mas também (e principalmente) de se frustrar.

E o maior problema é que normalmente só enxergamos isso quando a frustração já chegou… é aí que percebemos que não estamos alcançando nossas próprias expectativas.

A frustração a gente dosa com a inteligência que permite a humildade. As pessoas a gente conquista com humildade, ajudando a realizar o poder delas.

E por que conquistar pessoas? Porque você nunca vai tão longe quando vai sozinho, só você e seu conhecimento, você e suas certezas, você e seu ego…

E as pessoas que sempre vão ter para te mostrar uma perspectiva que está fora do seu campo de visão nunca vão estar aí dando sopa. Ou você as conquista gerando valor para elas, ajudando a realizar o poder delas, ou você fica para trás na escala de interesse e prioridade delas.

Ninguém gosta de conviver ou compartilhar com quem não aproveita outras perspectivas, outros olhares, outros valores…

Ou seja, se você quer masterizar sua arte e ir longe com ela, você precisa ser humilde para atrair as pessoas que podem te ajudar e aprender com elas.

É isso que a humildade faz por você: te ajuda a se desprender de qualquer imagem que você tenha de si ou que se esforce para cultivar, e te permite ser um aprendiz.

Sim, seu ego tem que ser forte, seu poder tem que estar aí dentro de você… desde que você seja humilde o suficiente para saber até onde pode se apoiar nele sem que ele te domine.

Porque quando isso acontece ele deixa de te proteger e passa a ser aquilo que nos mantem presos e isolados no nosso próprio mundo, completamente fora da realidades, ausentes para as oportunidades e possibilidades.

Quando você começa a precisar de muitas provas pra acreditar ou aprender algo, é um sinal de que seu ego está te dominando e sua humildade foi passear.

E por que estou falando isso? Porque para você conseguir explorar o seu máximo potencial e levar isso para a sua arte, seu ego e sua humildade tem que estar de mãos dadas.

Eu estou nessa busca também… quando foco em me desapegar de qualquer padrão de identidade que até então considerava que me definia estou dando o primeiro passo para isso: deixar o ego de lado e abraçar minha humildade.

Isso por um único motivo: não entrar para a estatística, ser quem eu quero ser e ser cada vez mais.

Faz sentido pra você?

 

  • Geyza

    Marina, e quando a humildade é maior que o ego? Quando você tem consciência de que existe muito a aprender mas não valoriza o que já sabe? Acho que os dois extremos são maléficos e a evolução plena só é obtida por meio do equilíbrio entre ego e humildade, autoconfiança e vontade de aprender mais. Ótimo post! :*

    • Marina Teixeira

      Geyza, com certeza o caminho é o equilíbrio.
      Mas às vezes a falta de ego, a autodesvalorização podem ser falta de clareza de objetivos e de estratégia para grandes metas. Já pensou nisso? 😉

  • Meu avô dizia algo que sempre guardei comigo… ”A Humildade é a única chave que abre qualquer porta”

    • Marina Teixeira

      ??

  • Felipe Loures

    Parabéns pelo post Marina! Essa semana minha coach me deu justamente esse toque e hoje cai em seu post. Veio a somar!
    Tenho acompanhado o blog e seu conteúdo realmente está valendo a pena a leitura.
    Keep going!! 🙂

    • Marina Teixeira

      Há que diga que essa é mais uma das boas coincidências da vida 😉
      Feliz em saber que está aproveitando, Felipe! Apareça mais por aqui!

  • Thiago Honório de Almeida

    Caiu como uma luva. Ontem uma pessoa me jogou para baixo e chegou a quebrar um pedacinho do meu sonho, hoje você conseguiu remenda-lo rsrsrs …. Obrigado =)

    • Marina Teixeira

      Nossa, que gostoso ler isso, Thiago!
      Obrigada e bora se blindar… se tema uma coisa que não pode deixar as pessoas “colocarem o dedo” é nos seus sonhos 🙂

  • Márcio Leyes Dutra

    Fiquei sem palavras sobre este texto, porém só me resta agradecer por ter a oportunidade de le-lo.

  • Matheus Dias

    Esse texto esclareceu algo que estava me consumindo durante umas duas semanas… Sinto algo muito bom, porém ainda em desequilíbrio. Bora praticar, né? hahahahaha 🤙🏻😁