O pré-requisito pra você escolher a felicidade

 

Como acontece em todo começo de ano, acredito que você também esteja agora naquele estado de felicidade fora do comum. Aquele sentimento de que agora vai, que esse ano tudo vai dar certo.

Eu percebi que isso é natural, o momento conspira pra isso né… reuniões de família, amigos e amores. Parece até que nos preparamos pra chegar esse momento, estarmos felizes e expormos isso.

Eu não quero te desanimar, mas preciso dizer que essa felicidade vai passar e não vai demorar muito. É por isso que escrevo esse texto, pra te mostrar que na verdade é pra esses momentos que você tem que se preparar, pra quando ela se vai.

Acabamos o tempo todo nos confundido com a nossa exposição e com o que vemos da exposição do outro. Isso alimenta aquela falsa ideia de que a felicidade é ultrapassar a linha de chegada, independente do que ela realmente significa pra você. E mais, que depois que você a atinge é página virada… “pronto, minha felicidade está garantida’.

Mas passa, e quando ela se vai deixa o vazio.

Para reverter isso precisamos primeiro entender que ser feliz não é uma simples escolha e nem algo pontual, é um comprometimento diário. Por isso, repito, você tem que se preparar não para quando a felicidade está batendo na sua porta, visível e palpável, mas para os dias em que acordar e não tiver nada concreto fazendo seu peito bater forte.

A única coisa sobre a qual você tem total controle é o significado que dá para as coisas, ou seja, o seu mindset. Por isso é por ele que começa a mudança…

Sentir é experimentar uma emoção, perceber algo. Pensar é direcionar a mente para alguma coisa.

Como o sentir vem da emoção, de algo externo, ele é inevitável e não uma escolha. Agora, o que fazer com um sentimento, se importar ou não com uma emoção, isso é escolha sua. Quando trazemos a emoção pra esfera do pensamento ela se torna uma escolha.

Não aprendemos a ser feliz, aprendemos a gerar um estado de felicidade, e nesse texto eu quero te mostrar que existe um pré-requisito para torná-lo real e constante.

As emoções são passageiras e a felicidade também pode ser. Se parar pra analisar você vai ver que às vezes você não consegue passar um dia inteiro sem abalar seu sentimento de felicidade. Por mais intenso e verdadeiro que ele seja em determinado momento, sendo uma emoção uma hora passa… passa com o tempo e passa porque outras coisas se sobrepõem a ele.

Por outro lado, o pensamento é racional e, portanto, não precisa ser passageiro. Ele é moldável e pode ser masterizado.

Quanto mais positivo é seu mindset, mais positivas são suas experiências e mais embasada sua sensação de felicidade.

Ser positivo é decidir focar na possibilidade de bons resultados e procurar virtude e valor em qualquer situação ou pessoa. É você pegar qualquer experiência (seja ela boa ou ruim) e extrair o melhor que ela tem a te oferecer, nem que você tenha que espremer muito até chegar nessa coisa boa. Ela sempre está lá, às vezes mais visível, outras menos.

E a facilidade disso vem do fato de que, enquanto a felicidade é sentida, o mindset positivo é algo que pode ser ensinado e praticado por qualquer um.

Não importa o que esteja acontecendo na sua vida, você pode ter uma atitude positiva em relação a tudo. E pode praticar isso para essas atitudes e esse mindset criarem raízes e ficarem mais naturais.

copomeiocheiomeiovazio

Num primeiro momento pode parecer bobo, mas é muito mais poderoso do que você imagina…

Quando você desenvolve o mindset positivo você encontrou um jeito de se proteger das suas próprias emoções, de ficar menos vulnerável aos fatos e às pessoas, de não mais depender de uma grande conquista para se sentir feliz.

Não é o mundo, é a forma como você pensa o mundo que permite que você se sinta feliz, de forma mais natural e cada vez mais frequente, até chegar ao ponto em que se sente assim sem motivo, simplesmente por você saber que está vivendo sua arte e que está preparado pra lidar com o que vier da melhor forma possível.

Por mais que genericamente tratemos assim, hoje eu acredito que é utópico querer ser feliz lidando com a felicidade apenas como uma emoção. Se o pensamento não vier antes do sentimento, não existe consistência, torna-se algo fugaz. Você passa a viver como uma montanha-russa e aí… era uma vez o estado de felicidade constante que queremos gerar.

O livro Happy For No Reason aborda isso, como se desprender de qualquer fator externo e gerar felicidade a partir do significado que damos para as coisas. Como criar internamento o que vai te fazer sentir feliz sem motivo.

Muitas pessoas sofrem com essa ideia de que a felicidade vem da emoção de um momento ou acontecimento, e erram justamente aí, tentando buscar a solução do lado de fora (aí vão atrás de um emprego melhor, tentam se apaixonar, compram coisas). É como se ficassem tentando encontrar shots de felicidade a todo momento, mas obviamente o efeito deles dura pouco, sobretudo quando outras áreas da sua vida estão negativas, incertas.

Se você não muda seu mindset e fica esperando por momentos ou pessoas que vão te fazer feliz, não tem como equilibrar a balança.

Por isso que em vez de focar simplesmente em se sentir feliz, é muito mais útil investir tempo e energia aprendendo a se blindar e treinar seu mindset para conseguir tirar o melhor de cada situação e assim construir um estado permanente de felicidade. Que não depende de nada e se renova por si só.

E treinar esse mindset começa com você se questionando sobre o impacto que cada coisa causa em você e criando consciência de como você pode mudar isso.

Então sempre que você enfrentar uma situação que tende a ser negativa, primeiro lembre-se que sempre existe uma perspectiva positiva e depois se pergunte:

Quanto isso vai realmente me afetar? Partindo do pior cenário, o que eu posso tirar de bom dessa experiência ou até transformá-la em algo positivo?

O trabalho de mindset sempre parte da sua autoconsciência.

Ser feliz é algo único. O que te enche de felicidade pode não me causar essa mesma sensação. É parecido com o amor… cada um de nós o sente de um jeito único e por mais que tentemos é difícil colocar em palavras, dizer como é e o porque é.

Eu amo de um jeito e você de outro. Eu sou feliz de um jeito e você de outro. E isso de jeito nenhum é um problema, apenas um fato. Um fato que deve ser apreciado e aproveitado.

Só que diferente das emoções que são sentidas de forma única, o mindset está na esfera lógica, e por isso pode ser treinado. Essa é a vantagem da prática, não a desvantagem da emoção.

O ciclo começa quando você identifica que quanto mais pratica seu pensamento para ter uma direção positiva, mais felicidade você passa a sentir. Às vezes (e cada vez mais) sem nem saber o motivo.

Isso porque muitas vezes não é pela situação que você se sente feliz, mas pela perspectiva que você passa a ter depois de significá-la. É assim que se constrói e cultiva mais momentos de felicidade. Não é apenas ligar um botão ou conquistar um grande objetivo.

Esse deve ser o foco: o mindset. Um mindset positivo que foque no agora e no que você pode ganhar com cada experiência ou interação que esteja vivendo, seja ela inicialmente boa ou não, independente do que aconteceu ou vai acontecer.

A felicidade passa a ser uma escolha a partir do momento que você une o pensar e o sentir. E mais, quando o pensar vem antes do sentir, como pré-requisito.

Ela é uma arte. Como emoção é passageira, como estado de espírito e modelo de realidade, pode ser duradoura.

O que realmente vai te preencher na vida não são os shots de felicidade que você toma, compra ou ganha, e sim a forma como você significa cada situação da sua vida. É você com você mesmo.

Você tem primeiro que construir internamente o que representa felicidade pra você (o que definitivamente não pode estar relacionado ao mundo externo), e aí trabalhar seu mindset pra ele viver isso diariamente.

Quando você tem clareza sobre onde quer chegar e quem você quer ser, você firma esse comprometimento consigo mesmo. Você para de buscar coisas momentâneas e prazeres passageiros. Você passa a querer encontrar valor e significado em tudo, a aprender a se tornar mais forte e independente a cada situação vivida, fácil ou difícil, de alegria ou tristeza.

Você passa a querer masterizar todas as formas de direcionar seu pensamento, porque esse é seu maior escudo. Seu alvo e seu escudo.

Esse foi um dos maiores aprendizados que eu tive nos últimos anos… entender que a minha felicidade interna só vai vir quando eu me desprender da imagem romântica de felicidade que cresci vendo e ouvindo.

Por que meu lado romântico me dizia para seguir minhas emoções o tempo todo. Me dizia que a graça da vida está em seguir cantando “deixa a vida me levar”. A Marina de hoje entende que a vida não é menos bela quando você veste seu escudo e passa a moldar seus pensamentos e atitudes, quando realmente se coloca no comando de si. No comando dos seus pensamentos e das suas emoções, sem expectativas.

Eu realmente passei a entender melhor a felicidade e senti-la, sem motivo e de forma mais constante, quando deixei a visão romântica da Marina criança e comecei a tratá-la também (também, não só, ok?!) de forma mais lógica e racional. Todo dia, step by step.

Deixe-se sentir, só não se deixe levar. As emoções vem e vão e não é nesse movimento que mora a felicidade. Sinta-as, mas não se renda a elas.

Era isso que eu queria te dizer hoje… Você precisa ter muito claro na sua mente o que é a sua felicidade e construir isso diariamente, independente do tamanho do seu desafio, do tempo que vai levar para chegar lá e do resultado do final.

Você não pode deixar que conquistas externas ditem seu estado de felicidade. Não pode depositar todas suas fichas no dia em que o príncipe encantado aparecer, que você encontrar o trabalho dos seus sonhos ou conquistar a casa top que sempre quis ter…

Toda conquista externa gera uma felicidade intensa, mas passageira. Que quando vai, deixa o vazio.

Claro que você vai vibrar por todas elas, comemorar e se reconhecer, mas o gostinho da vitória é muito maior quando você entende que a felicidade não está lá na frente na linha de chegada, ela está no caminho que você decide trilhar, em cada ressignificação que você dá para as pessoas e para os acontecimentos da sua vida.

Ela está na sua capacidade de não viver como uma montanha russa, sempre com as emoções a flor da pele, e sim na sua capacidade de controlar seu mindset e transformar sua realidade da forma como bem entender. Transformar o que quiser em sua felicidade.

É esse comprometimento que eu vou ter comigo em 2016, ser capaz de pensar, idealizar e ressignificar, até chegar ao ponto em que eu me sinta feliz sem motivo, simplesmente por viver a minha arte.

É isso que eu desejo pra você também, ser feliz sem motivo. Vamos nessa?

 

  • Vamos sim… Desejo isso em dobro pra você Marina. Ótimas reflexões, essa é o flow que eu também acredito.

    • Marina Teixeira

      Valeu, Maurício 🙂
      E vamos que vamos!

  • Bruno Schuarts

    Eu acredito muito que a felicidade esteja implícita na simplicidade. Ela nos acompanha a cada momento, sempre. A grande dificuldade é conseguir enxerga-la. Nossas emoções, pensamentos e sentimentos ofuscam a beleza de tudo que nos cerca. Perceber a felicidade em tudo o que fazemos, nas situações que passamos e em todas as pessoas que nos relacionamos é o desenvolvimento da arte de ser feliz. A felicidade não pode ser um objetivo, pois ela é o objeto. Não podemos ser felizes, podemos constantemente buscar estarmos felizes. Show Marina!!! 🙂

    • Marina Teixeira

      Adorei, Bruno!
      É isso aí e bora masterizar a arte de ser feliz!
      Bom te ver de novo por aqui 🙂

  • Heloise Amorim

    Eaí Marina tudo bem? Lindo texto…sabe, eu namoro uma pessoa que me mostrou isso na prática. Há uns tempos atras minha felicidade era uma montanha russa, dependia de coisas externas….mas Graças a Deus, hoje, eu consigo viver de forma plena, administrar meu mindset e extrair coisas positivas de tudo.
    Beijos

    • Marina Teixeira

      Que bacana, Heloise 🙂
      Sou grata também por ter alguém do meu lado que, quando vacilo, me lembra de tudo isso!
      Beijos

  • Oi, Mamá!

    Ótima reflexão. E parece que estamos em sintonia, escrevi algo parecido no novo artigo, em um dos hábitos.

    Mas o seu jeito de escrever é muito diferenciado. Dá pra sentir a sensibilidade de uma artista em cada parágrafo.

    Obrigada por sempre trazer ótimas reflexões.

    Beijos!

    • Marina Teixeira

      Oi, Carlinha!
      Ahh, eu não li o último ainda, mas a primeira parte do artigo ficou muito boa.
      Gostei de saber da sintonia e obrigada pelas palavras.
      Beijinho

  • WoW!! Que texto sensacional =)
    Vamos ser a consciência por trás dos nossos pensamentos, é o poder do agora. (Eckhart Tolle)
    Parabéns pela reflexão Marina, me ajudou demais!!