Quando foi a última vez que você fez algo novo pela primeira vez?

Fico fascinada toda vez que vejo uma criança explorando seu mundo… descobrindo e fazendo coisas novas.

Isso, ao meu ver, é o que há de mais lindo no viver… curiosidade e liberdade de ação.

Pretendo ser breve hoje, mas para te fazer um desafio lindo e muito importante.

Ser livre e curioso são qualidades inertes não apenas das crianças, mas dos seres vivos em geral. Faz parte do nosso processo de adaptação e crescimento.

Acontece que as crianças, até um certo ponto, são permitidas a viverem assim. E à medida que crescemos vamos enterrando essas habilidades, de pouquinho em pouquinho… nós por nós mesmo e o mundo por nós. Trabalho duplo!

É exatamente por isso que estagnamos.

Há poucos meses eu parei para pensar se estava realmente alimentando diariamente minha curiosidade e liberdade, se eu estava explorando meu mundo e me desafiando, experimentando o novo todos os dias…

Principalmente quando as coisas vão bem, é tão fácil abraçarmos esse ”bom” e nos acomodarmos, né?

A famosa zona de conforto, que tem um ciclo de vida perigosíssimo… primeiro conforta, depois engole.

O ponto é que quando aceitamos o bom ele deixa de ser bom, torna-se médio… e no fim, o médio é pouco, muito pouco. 

Há mais de um ano já eu posso dizer que não vivo nada na zona de conforto… mas foi há pouco meses que eu percebi que estava deixando os desafios aparecerem na minha vida e a pressão guiar meus esforços e dedicação. Não era isso que eu queria…

A minha relação com o desafio é outra, e sugiro que você pense nisso… estar sempre a frente dele. Só assim eu tenho a liberdade de primeiro explorar e depois escolher quais eu quero que sejam os meus desafios (e certamente, quando essa é a ordem eles tendem a ser muito mais coerentes e desafiantes).

Mas o que eu quero te mostrar aqui não é uma simples decisão de se desafiar (e superar) e pronto, mas de buscar aquilo que alimenta sua curiosidade e criatividade… aquilo que te faz feliz e te faz sentir cada vez mais livre… que te satisfaz e te permite ser!

E foi por essa busca que, há uma semana, eu me mudei para São Paulo e dei início a minha segunda aventura (calculada) sozinha. O Gabriel ficou no interior e pergunta quem mais me apoiou com isso? Ele 🙂

Por mais que nossas visões caminhem para a mesma direção, no momento nossos desafios estão em lugares diferentes. E eu só percebi isso quando me dei conta que não estava vivendo no meu máximo. Não estava dando o meu melhor em tudo e nem estava atingindo a satisfação que para mim era a ideal.

O normal nessas horas é escutar “mas você vai deixar seu marido?”. “Mas você tem tudo aqui, vai ser muito mais custoso e menos confortável morar em SP”.

Sim, vou e vai, porque no fim o que acontece é o oposto disso. Essas frases são a prova do mundo, como citei lá no começo, tentando enterrar o que você tem de mais forte e instintivo: seus sonhos, metas e visões. E, consequentemente, sua curiosidade e liberdade.

Essa nova aventura (é assim que gosto de chamar) é mais uma ação que me tira totalmente da zona de conforto, em todos os sentidos: na minha vida profissional, no meu lifestyle e no meu relacionamento.

Mas hoje eu escolho fazer isso porque eu quero decidir por mim os meu próximos desafios. E estou escrevendo essa texto, compartilhando isso com você para, quem sabe, te inspirar a fazer o mesmo.

Porque eu sei que quanto mais eu me desafio, maiores são os meus vôos, maior a minha evolução, e melhor eu posso ser, no meu trabalho, no meu relacionamento e na minha vida em geral. E se vale pra mim, vale pra você.

Não vou dizer que não deu medo… deu sim, muito! Mas sempre que eu paro e respiro eu lembro que só depende de mim, aí a coragem volta.

Se algo na minha vida desandar por conta disso, não é “porque tinha que ser assim”, é porque eu deixei que assim fosse. E se eu deixei é porque eu não estava preparada para ter isso…

Então que bela oportunidade eu encontrei de me testar, colocando coisas valiosíssimas em jogo! É, pois eu sei que só existe um jeito de mantê-las em minha vida e potencializá-las ainda mais… buscando o meu melhor todos os dias, sem deixar passar um dia mais ou menos.

Ou seja, é por valorizar tanto que você põe algo a prova, porque do contrário isso estagna, e porque sabe que a responsabilidade é 100% sua.

Já pensou em fazer o mesmo?

Então, assim começa o desafio…

Quantas coisas você já não deixou de fazer porque tinha vergonha do que os outros iam dizer? Porque tinha medo que sua escolha colocasse outras coisas importantes em risco? Porque sempre foi desestimulado a ousar e arriscar? Ou simplesmente porque se acostumou com a zona de conforto e esqueceu completamente o que é viver com adrenalina, com desafios, com curiosidade sobre a vida e sobre seus próprios sonhos?

Então, que tal começar a desenterrar todas as habilidades que te permitem ser quem você quer ser, fazendo o que tem vontade de fazer, e estando onde e com quem tem vontade de estar?

“Como se fosse fácil né, Marina”. Eu sei que não é, às vezes nem um pouco, às vezes até inviável no momento…

Mas sabe qual o melhor jeito de começar? Trabalhando isso todo dia. Começa nas pequenas coisas até dar os grandes saltos.

Eu comecei minha aventura vindo para São Paulo buscar tudo que alimenta minha arte e assumir um novo projeto da nossa empresa que agora está nas minhas mãos (e em paralelo buscando formas de não só manter, mas potencializar meu relacionamento, que eu optei por transformar, pelo menos por um tempo, em um amor de finais de semana).

Já não está sendo fácil, mas para manter o ritmo eu me coloquei um desafio principal que é o que queria compartilhar com você…

Por 30 dias eu estou me desafiando ( e comprometendo) a fazer algo diferente todo dia. Nem que seja a mesma coisa, o importante é tornar isso novo, o que pode ser fazendo de um jeito diferente.

Esse é o desafio… independente de que nível eu e você estejamos, a ideia é nos mantermos dando um passo a frente todo dia. Explorando nosso mundo e fazendo valer nossa arte.

Afinal, você pode até não ter percebido ainda, mas hoje em dia é assim a cada passo que você não dá são, na realidade, dois passos para trás. 

Com certeza agora meu dia a dia ficou bem menos simples e automático…mas é aqui que entra a adrenalina e a evolução. E é em busca disso mesmo que nós estamos.

“Sempre contente mas nunca satisfeito”, essa é uma das principais lições que aprendi com o Gabriel e que ele me recorda todos os dias.

E no fundo é isso que aprendemos toda vez que paramos para observar uma criança…

Ela nunca tenta apenas uma vez. Mesmo quando consegue algo ela tenta fazer de novo, de jeitos diferentes, e assim que vai afinando seus movimentos, sua fala, suas percepções!

Fazer algo novo (ou apenas diferente) todos os dias e, assim, cultivar sua verdadeira curiosidade e liberdade…

Se desprender das amarras do mundo e dos outros, e cultivar o que realmente te alimenta, que te inspira e fortalece! 

E aí, topa? Me conta aqui nos comentários por onde você vai começar, qual a primeira coisa que fará pela primeira vez hoje 😉

  • Claudio Maidana

    Que Louco isso!!

    Belo depoimento, e que DESAFIO. QUE DESAFIO.

    Recentemente, fui fazer um curso de especialização em panificação em SP, e pela primeira vez, fiquei uma semana longe da minha filha e da minha esposa. Fácil não é, mas quando você tem apoio das pessoas que você mais ama e que estão ao seu lado em TODOS os momentos, isso me deu uma força muito maior para realizar.

    As crianças realmente, tem o dom de ver toda situação por uma ótica elevada, que nós adultos, bloqueados pelos muros do “não pode”, vivenciamos a vida de forma morna e não prestamos atenção na miopia que isso causa, aos poucos ficamos cegos e seguimos qualquer caminho.

    Eu e minha esposa (Lucilene Maidana, sua seguidora e fã), aos poucos estamos derrubando os muros que não nos permitia enxergar o horizonte, estamos trabalhando na nossa arte e descobrindo novas paixões.

    Viver dessa forma é incrível.

    Algumas das nossas necessidades de mudança, foram inspiradas pela nossa Filha, Mallú de 6 anos, a ótica dela para os eventos da vida, é sem dúvida, superior ao que nós por muito tempo não conseguíamos enxergar.

    Quando li o início do texto “Fico fascinada toda vez que vejo uma criança explorando seu mundo… descobrindo e fazendo coisas novas” Me lembrou muito a Mallú, ela é realmente muito próxima desse pensamento.

    Dia desses, ela estava ditando uma “estória” para eu escrever. Num trecho do ditado ela disse “ E a princesa morava numa arvore mágica e todos que comiam o fruto dessa árvore”…. Eu por descuido falei. Filha, mas princesas não moram em castelos??? Ela me respondeu: Nessa história ela mora numa arvore.

    Sempre gostei muito de escrever, alguns amigos até comentam, que eu deveria investir tempo para aprimorar isso. Nunca levei isso a sério, então hoje o meu DESAFIO vai ser, escrever uma “estória” com a minha filha, sem ser pai, mas como uma criança.

    Parabéns pela iniciativa e por compartilhar essa experiência 😉

    • Marina Teixeira

      Ahh, Claudio, você sempre traz comentários lindos, e quando a Malú aparece neles fica mágico.
      Viver dessa forma é realmente incrível, e é muito gostoso ver os muros que você derrubaram e os que estão subindo 🙂
      Quero agora saber como foi esse desafio, ok?!
      Muita arte pra vocês <3

  • Jansen Osório

    Caraca, Marininha! No mundo que estou me introduzindo, vivo isto constantemente. Todo dia algo novo: ideias novas, conceitos novos, uma dinâmica intensa e imparável. E quer saber de uma coisa? Isso é incrível! Quando colocamos à prova coisas de valor em nossas vidas, perfomamos mais intensamente; e, por fim, isso nos diferencia. Se qualquer dia quiser tomar um café e bater um papo aqui em SP, será um prazer! Tudo de bom e GL em seu novo desafio! o/

    • Marina Teixeira

      E que assim seja sempre, muita coisa nova!
      Vamos marcar esse café aí sim!

  • Bianca Holanda

    Puts, Marina.
    Considero esse o melhor post do blog até hoje.
    Tenho uma lista de favoritos aqui, mas nesse post em especial deu pra sentir aquele arrepio na espinha como se algo fosse escrito pra você.
    Talvez por ter sentido tanta sinceridade na forma como você abordou esse tema, e por ter me identificado (e inspirado) plenamente do começo ao fim.
    Obrigada por trazer tanta reflexão boa, por me lembrar quão importante são as aventuras que optamos mergulhar de corpo e alma, o nosso extinto de curiosidade e exploração.
    Quando tive o prazer de conhecer o trabalho de vocês, logo quando o Filipe entrou pra equipe, foi como se tivesse descoberto um universo paralelo, e isso fez (continua fazendo, diariamente) uma diferença enorme na forma como enxergo a realidade e tomo decisões.

    Parabéns pelo blog, por inspirar e por gerar tanta reflexão. Boa sorte nas novas aventuras em São Paulo e sucesso no novo projeto, que já imagino ser grandioso.
    Mt mt obrigada por tudo que, mesmo de longe e virtualmente, você vem mudando aqui dentro. 🙂

    • Marina Teixeira

      Ah, que mensagem linda!
      Você sempre capricha, mas essa foi especial 🙂
      Muito feliz em ler isso e saber que tudo que eu compartilho aqui tá potencializando as mudanças aí.
      Venha logo para um aventura em SP, ok?!

  • Joel Lisandro

    A última vez foi nesse fim de semana que passou aonde fiz uma viagem com amigos para a Ilha de Itamaracá. Foi a primeira vez que fiz uma viagem de fim de semana com amigos. Foi muito bom! 🙂 Venho sempre buscando novos desafios também para minha vida. As vezes me acomodo e isso ainda é fato, mas vou buscando sempre mais para me tornar cada vez mais uma pessoa melhor.

    • Marina Teixeira

      É isso aí, Joel! Mais e mais, sempre!

  • Jandira Oliveira

    Oi Ana, eu sou nova aqui mas gostei muito da dica. Seu post abriu mais a minha vinha visão.
    Apesar de achar q, o q eu faço é um grande desafio. Lidar c ser humano não é fácil. Ainda mais conhecê-los a fundo sem ao menos nunca te-Los visto. Buscar me aperfeiçoar faz parte desse desafio e ter entrado em Tudo Pela Arte é o primeiro passo. Há um tempo fugir desse desafio, mas recobrei forças e voltei. Não sei se é normal mas eu sou o contrário de muitos gosto de não ser notada, de não ser vista, mas faço tudo diferente, detestava a palavra desfio mas é o que mais faço. Em fim, aprendi que o que não te desafia, não te transforma.
    Obrigada. Tenho muito a falar mas meu celu não permite, ta travando muito.rsrsrs. Você me deu uma ótima idéia. ?

    • Marina Teixeira

      Oi, Jandira!
      Estou super atrasada aqui, mas… bem-vinda!
      Buscar se aperfeiçoar é sempre o primeiro passo, pois nada acontece no lado de fora sem antes passar por nós! Fico feliz em saber que já estou ajudando com esse post 🙂
      E gritar a sua arte independe de estar a frente de algo… é apenas ser, com toda intensidade que a satisfaça.
      Volte sempre 😉

  • Lucilene Maidana

    Marina, confesso que ultimamente mudei muito… minha forma de pensar, minha forma de me relacionar, tudo mudou e para melhor.

    Estava em uma vida bem estagnada, sem muito sentido, mas totalmente na zona de conforto. Sabe quando você sabe que algo está errado, mas não sabe exatamente o que é?

    Foi aí que entrei em uma fase de instrospecção, entrei no casulo, mesmo, e acabei entendendo o que estava havendo.

    Neste momento, estou muito feliz e ansiosa por outras mudanças em minha vida, que estão por vir… me enchendo de coragem e motivação para abraçar os projetos que hoje habitam meus sonhos… ?

    • Marina Teixeira

      Lucilene, tenho certeza que entrou no casulo pois eu só a vejo voar 🙂
      Parabéns, fico sempre sem palavras para vocês!
      E que venham mais mudanças e mais vôos!

  • Lessandro Santos

    <3…. incrível… vamos inovar o novo de uma forma diferente.

    • Marina Teixeira

      Bora!!

  • Jessica Alencar

    Eita Marina, já era fã do seu marido e agora amei seu texto e foi importante esta leitura pra mim. Obrigada. Acompanharei seu trabalho tb! Sucesso.