lifestyle, seu jeito de ser e estar no mundo

Image uploaded from iOS (5)

 

no post passado falei sobre o valor inconformismo e como isso se conecta como a minha visão de artista: o inconformado apaixonado.

o verdadeiro artista vive assim… pela masterização da sua arte, independente de qual seja ela e por quanto tempo seja a mesma.

vive pela masterização da arte que não dá sossego, ao mesmo que é quem lhe faz parar e respirar.

esse é o jeito do artista de ver, sentir e viver a vida… uma coisa leva a outra e esse é seu lifestyle.

sim, lifestyle, algo muito mais profundo do que apenas um conjunto de hábitos ou uma hashtag por aí.

vejo muito esse termo ser utilizado por pessoas que optam por ter hábitos saudáveis, e aí ficamos tendenciosos a relacionar lifestyle apenas a práticas ligadas a saúde, normalmente alimentação e exercícios físicos.

e assim a gente carimba a ideia de que esse é apenas um extra, um “a mais” do dia a dia, algo que você só vai olhar e se preocupar quando tiver com outras áreas da vida em ordem. do contrário, “não tem tempo pra isso”.

mas tá errado. não estamos falando da cereja do bolo e sim da receita.

lifestyle é a forma como você enxerga o mundo e conduz a sua vida, são suas escolhas, seus pensamentos… e dependendo de como for pode ser positivo ou negativo.

é aquilo que te conecta com você mesmo no dia a dia. o que te motiva a enraizar e seguir firme em muitos dos seus hábitos.

e você pode estar aí pensando que nem tem um lifestyle, mas todo mundo tem um. você pode ainda não ter consciência disso, mas você tem o seu.

é como um self service, você escolhe o que quer e assim constrói o seu. e ainda que às vezes você sinta que vive super no automático, você tem um.

a forma como você se relaciona com o seu trabalho influencia seu lifestyle. a forma como lida com a sua saúde, também. as coisas que você aprende ou as que rejeita também.

quando decidi sair da faculdade e seguir no mundo do empreendedorismo eu fiz uma grande mudança no meu lifestyle. eu decidi que eu queria viver uma vida menos previsível, mais aventureira e desafiadora. que eu queria me jogar mais no mundo. decidi também que eu não aceitaria, nunca, não estar em primeiro lugar na minha lista de prioridades.

quando comecei a meditar e estudar sobre desenvolvimento pessoal eu também dei um grande norte no meu lifestyle… mente, corpo e espírito, foi nesse momento que eu dei um basta no meu ceticismo e assumi uma postura mais aberta e curiosa pra vida.

quando eu entendi que meu crescimento dependia também de eu ser uma pessoa menos nostálgica e apegada ao passado (românticos me entenderão), muitos dos meus relacionamentos mudaram e isso impactou meu lifestyle.

estou dando todo esse contexto aqui porque esse é nosso segundo valor na HSA, o high stakes lifestyle. e, da forma como os vejo contar uma história, a gente só cria consciência e coloca intenção no nosso lifestyle quando já atiçou dentro de si a chama do inconformismo.

high stakes lifestyle não é um conjunto de coisas que você faz no dia a dia e aí diz que vive nesse mood. é a união dos três A’s: arte, action e alta performance, independente do que você faça e de como faça, desde que conectado com os três A’s.

arte talvez eu nem precisasse dizer o que é (no meu e nesse contexto, claro), né? é aquilo que você escolhe e que te inspira. é aquilo que desperta seu inconformismo, que te faz querer ser melhor a cada dia.

é em nome da sua arte que o artista nem concebe subir no palco e ser o mesmo. ele se prepara para ser outro a cada espetáculo, para encantar cada vez mais pessoas, para despertar novos sentimentos e para ser cada vez mais preciso em seus movimentos.

action é ir pra cima e fazer acontecer. é colocar intenção e intensidade em cada passo que você dá.

e a alta performance é a sede por atingir nisso o estado da arte.

a arte te inspira, a action te ensina, e a alta performance modela tudo.

é o constante movimento pela masterização. não um apego à perfeição, mas um comprometimento por fazer cada vez melhor, por otimizar processos e resultados. é o entendimento de que o hardwork pode virar smartwork (mas sempre começa com muito hardwork).

como a arte é sempre única para cada um, esse lifestyle não poderia mesmo ser um conjunto de hábitos ou qualquer coisa. ele também é único pra cada pessoa. desde que você esteja encantado pelo que faz, aprendendo com a action do dia a dia e se masterizando dia após dia, você está vivendo o high stakes lifestyle.

ser high stakes é isso, ser artista e profissional. e ser profissional significa entender que para atingir seus objetivos você precisa moldar a sua vida pra essa direção.

de forma bem ideológica, é viver numa missão, na sua missão, trabalhando todas as áreas da sua vida para que elas te fortaleçam e te ajudem a chegar aonde você quer.

o profissional junta tudo e vive uma vida só, porque a última coisa que ele quer é se distrair, se distanciar daquilo que na verdade é o que o conecta a ele mesmo. então mesmo quando ele não está diretamente fazendo algo relacionado a essa arte, ele está presente pra importância de alimentá-la sempre indiretamente.

essa é a melhor definição de high stakes: profissional. sendo assim, o high stakes lifestyle é a profissionalização de todas as áreas da vida.

afinal, de nada adianta você ser profissional apenas no seu trabalho, na sua arte, se os demais pilares da sua vida estão desconexos e te puxando pra baixo, pro lado, pra trás…

se você sai de casa todo feliz, faz seus dias serem incríveis, mas quando volta tem toda sua energia sugada por um relacionamento que não mais te faz ser uma pessoa melhor.

ou se você é impecável no seu trabalho, mas vira e mexe perde oportunidades de crescê-lo por não ser uma pessoa comunicativa, ou mesmo por viver muitas flutuações emocionais que atrapalham sua produtividade, seus relacionamentos, seu bem-estar.

e pode até ser que você ainda seja impecável no que faz, mas se isso não for a sua arte ou se não tiver muito significado pra você, não vai pra frente.

você não vai aguentar. uma hora ou outra vai diminuir o ritmo e virar amador. vai abrir mão da sua excelência, vai desistir da sua evolução.

é por isso que o profissional é inconformado, e só assim ele se mantém existindo.

só assim ele passa a ser apaixonado pelos seus erros, pelas idas e vindas, pelos sobe e desce. e aprende a conviver com isso de forma natural, com gratidão.

quando você conecta tudo isso você entende o poder de moldar seu lifestyle, e moldá-lo para ser um profissional.

esse é um dos nosso valores na empresa: que todos estejam nessa caminhada, se desenvolvendo não apenas tecnicamente no trabalho, mas em todas as áreas da vida. que sejamos todos inconformados para sermos pessoas melhores, cada vez mais completas e apaixonadas. pessoas em movimento. intensas.

quando você define o seu porquê por trás de tudo que você faz, tudo fica mais leve, fluido e poderoso.

a arte desabrocha. as respostas vem. as coisas acontecem e você se sente um high stakes. nesse momento você já tem total consciência do que é ou deve ser o seu high stakes lifestyle :)

 

  • Iris Vanessa

    Que incrível Marina, seu post me ajudou a colocar o meu “brainstorming” em ordem assim como está meu cérebro depois do Moving Up está meu coração, uma tempestade de sentimentos que me levam a busca incansável pela minha melhor versao. Já me peguei chorando, sorrindo, fora de sintonia com os meus e ao mesmo tempo louca pra abraça-los e dizer vem ver a passagem secreta que eu descobri: high stakes lifestyle. Sim existe, tem nome complicado, mas é a passagem para o encontro com o nosso divino que está aqui dentro escondidinho ou adormecido por tanta inércia e medos. Gratidão Marina! Sua arte desperta o meu divino.

  • Laura Pessoa

    Que texto lindo :)

  • Matheus Jacobina

    Oi Marina. Tudo bem? Estou com uma dúvida.. Porque você e o Goffi agora escrevem tudo no minúsculo?? Só curiosidade mesmo.. rsrs Parabéns por mais um belo texto!!!

  • Antonio Celso

    Parabéns pela matéria! http://www.azquadros.com.br