Você sabe onde estão as pessoas que vão te levar para o próximo nível?

 

Não é novidade pra ninguém que as pessoas com quem você mais convive são as pessoas que mais te influenciam, positiva ou negativamente. E que consequentemente os seus resultados dependem diretamente dessas pessoas que você escolhe manter por perto.

Quando você pensa onde você está hoje pensa também em quem está do seu lado? Você pensa nos livros que tem lido, nas pessoas com quem tem aprendido e nos artistas que tem te inspirado?

Tem uma frase bem famosa do empreendedor e palestrante americano Jim Rohn em que ele diz que “você é a média das 5 pessoas com quem mais convive”. Provavelmente você também já ouviu muito por aí “Diga-me com quem andas que te direi quem és” ou então como o Gabriel diz “Apoie-se no ombro de gigantes”.

Pois é, muitas formas de expressar uma mesma intenção…

Só que não importa qual delas você escolha, importa que esteja presente pra isso… pra ideia de que os seus relacionamentos são os principais responsáveis por você estar sempre afiando seu machado, ou não.

O quanto você sobe os seus padrões na vida depende de tudo com que você está se nutrindo: pessoas, ideias, energias, sonhos…

E por isso resolvi escrever sobre isso hoje… por ter tido o privilégio de participar do maior evento de empreendedorismo digital no Brasil. Eu mais 2.500 pessoas que também escolheram usar a sua arte para empreender.

Dessas 2.500 pessoas dá pra contar nos dedos quantas eu conheço, mas não dá pra mensurar o quanto elas me potencializaram e inspiraram.

E já que quando somos inspirados sentimos ainda mais vontade de inspirar, enxerguei nessa ocasião a oportunidade de te mostrar que os grandes saltos que você vai dar na vida, tanto de resultados quanto de realização, vão acontecer quando você encontrar pessoas que estão a sua frente (em algum aspecto) e decidir ser impulsionado por elas.

Um dos maiores erros que a grande maioria das pessoas comete é deixar que as pessoas e as circunstâncias mais presentes em sua vida determinem o nível de jogo que elas vão jogar, em qual palco vão dançar…

Mas na verdade deveria ser justamente o oposto: primeiro você encontra sua arte e determina onde quer chegar, e só depois você escolhe as pessoas que vão estar ao seu lado pra fazer isso acontecer.

É exatamente como numa peça… primeiro o escritor tem que escrever a história: ele determina a mensagem que quer passar, cria os personagens, sequencia as cenas, e o último passo é escolher os artistas e os elementos que darão vida a essa história.

Porque seria diferente conosco?

Se você quer viver a sua arte e contar sua própria história, você tem que seguir essa lógica. E pra isso tem que ser obcecado por uma coisa: se cercar das pessoas certas.

As pessoas certas necessariamente são aquelas que aumentam as suas referências, elevam seus padrões e te fazem jogar outro nível de jogo… são aquelas que te inspiram e te desafiam a ser mais e buscar por mais.

Mas claro que antes de procurar as pessoas certas e querer atrai-las, você precisa se atentar ao fato que, inevitavelmente, você é na verdade a pessoa com quem mais convive. Então, antes de qualquer coisa, você tem que se atentar aos seus pensamentos, ao que você está se dizendo todos os dias.

De que adianta fazer parte de um super elenco se na hora em que assume o palco sozinho você tem zero domínio sobre seu corpo e não consegue nem fazer os movimentos que deveria? É a mesma coisa que você se cercar de pessoas tops, que tem tudo pra te alavancar, mas dentro da sua cabeça você estar cheio de pensamentos negativos e limitantes.

Depois que isso está resolvido você precisa se atentar às pessoas com quem mais troca ideias e experiências, porque são elas que tem espaço pra exercer influência sobre você.

Vale uma ressalva que para você se cercar de pessoas que vão te potencializar é preciso ser humilde. Pois é só quando a gente reconhece que não sabe algo, sem ter vergonha disso, que nos abrimos a aprender sobre o assunto.

Infelizmente, muitas vezes o ego mata nossa humildade e nos coloca pra medir forças… é isso que acontece quando aparece aquele diabinho falando na sua orelha que você não pode aceitar tal situação e que tem que se provar superior.

Mas acredite, esse não é o caminho. Deixar de lado a humildade é optar pela ignorância e por deixar de aprender com a vida.

Em contrapartida, quando você assume o papel de aprendiz, além de surgirem oportunidades, as experiências e o conhecimento também trazem algo que lhe é muito positivo, mesmo que não intuitivamente: responsabilidade.

Quando você entende que esse não é um jogo em que um suga e o outro simplesmente dá, você entende como essa atitude envolve responsabilidade e enxerga nela o caminho pro crescimento.

Desde criança a gente aprende a querer liderar pelo exemplo, e isso é ótimo (desde que não leve a uma briga de egos). E é ótimo porque ser exemplo para alguém é uma das maiores fontes de inspiração possível, que resulta em um ciclo positivo e crescente.

Quando somos inspirados por alguém e sentimos o valor disso, automaticamente desperta em nós a vontade de inspirar outras pessoas também. Quando você diz ou escuta de alguém “você mudou a minha vida”, inevitavelmente a vontade que sente é de reproduzir isso com outras pessoas.

É exatamente isso que torna possível nos cercarmos das pessoas certas, aprendermos e crescermos com elas.

Isso porque ninguém está disposto a entrar numa relação unilateral. E quando você traz a responsabilidade pra você e se desprende da ideia de apenas receber dos outros, você entra em qualquer situação pensando em como você pode ser aquele que vai elevar a média da pessoa com quem está se relacionando.

É isso. Quando você se compromete com o seu crescimento, você passa a se preocupar mais em também dar e gerar valor na vida dos outros, e aí automaticamente você sobe o seu nível.

Quando você está com esse mindset as relações nunca são unilaterais. E é por isso que pra mim a frase de Jim John é incompleta, porque não se trata apenas de se preocupar com a média das pessoas com quem você mais convive, mas também em quanto você está elevando essa média.

Quando você sobe o seu nível você sobe também o nível das pessoas que estão com você. É assim que se constroem relacionamentos.

E talvez você esteja agora se perguntando onde encontrar essas pessoas, e é muito simples…

Já percebeu que toda pessoa que você conhece que “deu certo” parece que vive num mundo paralelo?
Provavelmente você até diga que ela é um pouco (ou muito) radical, que tem umas ideias estranhas e parece meio bitolada pelo que faz?

Pois é, porque viver num mundo paralelo é exatamente isso: esquecer do mundo e só se comprometer com a sua arte. Pessoas assim sabem onde querem chegar e o que precisam fazer pra isso, e, portanto, chegam.

Quando você descobre o seu mundo paralelo fica muito óbvio onde você pode encontrar as pessoas certas, aquelas que você quer ter do seu lado pra elevar sua média.

Se você sabe a sua arte, você sabe com quem quer estar, e aí fica fácil saber onde estão essas pessoas que vão te jogar pro próximo nível.

Certamente, se o seu mundo fosse o do empreendedorismo eu não pensaria duas vezes pra te dizer que o seu lugar é no evento do Fórmula de Lançamento.

Consegue imaginar o potencial de estar com 2500 pessoas que partilham do seu mundo e estão dispostas a aprender e a ensinar umas com as outras?

Se você for humilde vai perceber que o caminho mais rápido e fácil pra atingir o estado da arte no quer que você opte por fazer é se juntando a pessoas que sabem mais que você, que tem mais resultados que você.

Imagino que você não tenha dúvidas que precisa excluir da sua vida qualquer vestígio de pessoas tóxicas ou negativas… aquelas que te desestimulam, que te jogam pra baixo ou estão o tempo todo tentando te trazer pra “realidade”.

Mas a verdade é que só isso não basta… não quando o que você busca é o estado da arte. Quando você não pode mais contribuir tanto com uma pessoa e ela o mesmo por você, é hora de deixar o afastamento acontecer naturalmente e nostalgia ficar pra trás.

Veja bem, não se trata de deixar de ter carinho ou respeito por aqueles amigos “de longa data”, apenas aceitar que vocês precisam agora se cercar de outras pessoas para atingirem seus respectivos objetivos.

Participar de eventos e frequentar lugares onde estão as pessoas com quem você quer andar é muito inspirador e motivador.

Se cercar de pessoas que estão dispostas a dividir com você os sucessos e fracassos delas é sem dúvidas o melhor caminho (e o mais rápido) pra você atingir os resultados que quer e chegar no seu estado de arte.

E o melhor é que hoje em dia você não precisa nem sair de casa pra ter tudo isso. Não necessariamente você precisa conhecer a pessoa que vai fazer a diferença na sua vida e te ajudar a subir de nível. Você só precisa gerar valor pra ela, de um jeito ou de outro.

Há dois anos eu mudei completamente a minha vida… finalmente entrei no meu mundo paralelo e consequentemente tive procurar outras pessoas para estarem ao meu redor, pessoas que tivesse na mesma “pegada”.

Como eu e o Gabriel costumamos dizer, passei um tempo na caverna me preparando pra ser quem as pessoas com quem eu quero estar querem ter por perto. Se eu quero o valor de alguém eu tenho primeiro que estar preparado pra dar em dobro, se preciso.

Hoje eu não sofro mais com nostalgia, porque tenho muito claro na minha cabeça quem eu quero que me acompanhe e quem eu quero acompanhar. Às vezes a gente tem que abdicar de algo, que no presente pode até parecer inofensivo, pra ir se preparado pra ir a campo quando chegar a hora.

Esse final de semana ouvi uma frase aqui no evento que dizia mais ou menos algo assim…

“Ss pessoas olham para quem tem sucesso e acham que tudo aconteceu da noite pro dia. O que elas não veem são os anos de preparação e masterização até chegar o dia da mudança”.

Esse é o papel da caverna e o poder de se cercar de pessoas melhores que você.

Eu queria finalizar esse texto com uma pergunta e um possível desafio.

Por mais que isso possa parecer um pouco duro… Olhe pro seu lado, pras pessoas com quem você mais convive e se pergunte se é com elas que você quer estar daqui 5 anos. São elas que vão te ajudar a chegar aonde você quer?

Se sim, ótimo! Cultive isso e gere valor pra elas.

Se não, sempre é tempo…

Só cuidado pra não querer conquistar as pessoas da noite pro dia. Por mais incrível que você seja, lembre-se que ninguém busca uma relação unilateral, e sim uma em que ambos os lados possam afiar seus machados.

Eu ainda estou saindo da caverna, mas já vi muita gente que depois desse período se juntou às pessoas certas e hoje brilha.

Então eu não hesitaria em aconselhar o mesmo (e esse é o desafio):

Cerque-se de pessoas que vão te desafiar e elevar seu nível, e esteja preparado pra gerar valor por elas.

Te espero nos comentários 🙂

 

  • Heloise Amorim

    Oi Marina =))
    muito bom! Adorei !!
    com certeza é tudo verdade, mas infelizmente as vezes ja estamos dentro de um projeto em andamento que começamos la atras com pessoas que talvez nao sejam as certas. Eu estou nesse dilema e não sei como agir exatamente.
    bjs

    • Marina Teixeira

      E por que não começar um novo projeto com as pessoas certas?
      Às vezes a gente deixa de ter uma atitude por medo do prejuízo imediato, e escolhe pelo maior prejuízo, o do longo prazo, aquele que acontece aos pouquinhos.
      O quanto isso suga sua energia é que determina. Que tal pensar assim?

  • Luiz Fernando Heiras

    Essa reflexão foi a que mais impactou minha vida! Quando comecei a por na balança quem seriam essas 5 pessoas que seriam meus “guias”, fiquei muito triste ao saber que nenhuma delas seriam as pessoas que eu convivi por quase toda minha vida.
    Mas vendo pelo lado bom, desde que comecei a fazer essa reflexão e comecei a me atentar quem seriam essas pessoas, minha vida começou a mudar, pra melhor, muuuito melhor!
    Muitos perguntam: Mas quanto você está ganhando ($) hoje Luiz, já que tem suas metas traçadas e as 5 pessoas definidas?
    Quem já chega fazendo essa pergunta pra mim, eu vejo que tenho que explicar outras coisas, antes de responder.
    Se você ainda acha que o dinheiro é o principal da história, acho que não tem muito sentido você procurar essas 5 pessoas, pois pra quem tem esse mindset (pensamento), só vai encontrar pessoas que pensam da mesma forma, ou seja, fazem tudo por dinheiro e não por paixão, não encontraram sua arte.
    Essas 5 pessoas vão te ajudar, motivar, gerar valor pra você, você gerar valor para elas e o mais importante, elas tem o mesmo mindset que o seu, dessa forma vocês evoluem juntas.

    Marina, saiba que você e o Goffi já estão na minha lista de espera para ser uma das 5 pessoas! Mas pra isso tenho que evoluir mais pra conseguir gerar valor para vocês também! Belo texto e reflexão! Até a próxima!

    • Marina Teixeira

      Wow, Luiz, obrigada!
      É impressionante como muda mesmo, porque se a pessoa do lado não partilha da mesma energia (e nem está buscando isso) ela suga a nossa, mesmo sem querer.
      Se atentar a isso não é só ir mais longe, é ir mais leve também!

  • Ana Paula

    Oi, Marina!
    Acho que as relações são extremamente cruciais em nossas vidas, no sentido de aprendizagem e crescimento. Dificilmente, paramos para refletir sobre com quem estamos nos relacionando, o que temos trocado e qual o tipo de influência as pessoas ao nosso redor tem exercido em nós e vice-versa. É uma reflexão e tanto! Só de parar para pensar sobre isso, já sinto que sai de uma “zona de conforto”, gerou um movimento. foi aquele momento: “Preciso analisar esse aspecto da minha vida com todo o cuidado que exige”. Obrigada por abordar de maneira tão assertiva esse assunto. Com certeza, gerou valor!
    Beijos!

    • Marina Teixeira

      É exatamente isso, Ana Paula.
      A gente vai levando e raramente para pra pensar quem está do nosso lado e se continua sendo isso que queremos.
      Fico feliz que o texto tenha te colocado em movimento 😉
      Beijos!

  • Maria Fernanda Ayres Nogueira

    Muito bom o texto, Marina. Concordo plenamente que a pessoa que mais está perto de nós, nos influenciando, somos nós mesmos! A primeira coisa que deve mudar é o jeito como pensamos, e identificar o que nos “trava”. Gostei muito também da noção de humildade. Nunca podemos nos esquecer disso, pois cercar-se de gigantes significa abrir mão de se achar o melhor, o mais empenhado, e reconhecer que existe gente muito a frente – e que isso é ótimo, pois significa que você pode aprender e chegar lá também!

    • Marina Teixeira

      … que você pode aprender, chegar lá e ir adiante!

  • Bianca Holanda

    Muitas vezes esse afastamento vai acontecendo naturalmente, aos poucos permanecem conosco apenas aqueles que estão na mesma pegada e conseguem enxergar esse universo paralelo.

    Difícil é ter agir naqueles casos em que o afastamento não se dá de forma natural. É difícil, mas é preciso.

    Boa leitura pra lembrar quão importante são essas influências ao nosso redor. 🙂

    Sempre bom dedicar um tempinho aqui e refletir sobre o que tu escreve!

    • Marina Teixeira

      É difícil, mas preciso! E no fim a gente só SE agradece 🙂
      Sempre bom ter você por aqui!

  • Palomah Cortez

    Olá, Marina. Você comentou sobre o “estar na caverna”, o que seria esse período?Em que consiste esse momento? Muito interessante esse texto por que, de fato, no movimento High stakes Life style escuto muito essa frase da “média das 5 pessoas” e confesso que estava meio nebuloso para mim esse conceito… Obrigada por dar um esclarecida, Abraços

  • Magda

    Nossa Marina mais um texto fantástico! E confesso que ainda me sinto um pouco culpada por esses afastamentos naturais e uns mais rápidos, pois as vezes ouço das pessoas que eu mudei e não sou mais a mesma pessoa…isso ainda me incomoda um pouco…mas esse texto me trouxe um pouco de clareza quanto ao processo natural de término de ciclo, tal qual a natureza.
    Sou muito grata pela reflexão!