5 verdades que vão te ajudar a encontrar a sua arte

 

Não é a toa que já recebi muitos pedidos para falar mais sobre como encontrar sua arte… afinal, essa é a essência do blog.

E eu imagino que esse tema gere mesmo um mix de sensações… excitação e possibilidades pra quem já passou por essa descoberta… e muitos pontos de interrogação e até angustia em quem ainda não.

Resolvi então aproveitar que o ano está acabando pra falar sobre isso. Saber mais sobre como encontrar a sua arte pode ajudar no seu planejamento para o ano que vem.

Quero começar então dizendo que no fundo a gente sempre sabe o que quer, por mais que muitas vezes isso esteja camuflado.

A arte ressoa, faz eco, se insiste a todo momento. Então, por mais que ela possa estar vindo disfarçada, está aí com você.

E eu não acho que o maior problema das pessoas seja encontrar sua arte, e sim descobrir como fazê-la possível, real… do mundo.

O grande desafio é juntar tudo e construir sua visão. É chegar na pintura ideal.

Se você é daquelas pessoas que tem muitas paixões (sou dessas o/), provavelmente sua maior dificuldade esteja em descobrir como compor tudo da melhor forma, sem deixar nada de fora.

Porque o que fica de fora, falta. E quando falta é porque é arte.

Agora, se sua pintura já está muito clara na sua mente mas e é bem avançada, cheia de nuances, cores e perspectivas, provavelmente sua dificuldade venha do medo, de não se sentir capaz de atingir isso.

Às vezes acontece… de só conseguir sonhar grande, mas sem base pra sustentar isso, a gente acaba se distanciando do próprio desejo.

E pode ser também que a pintura que você criou ainda não esteja te agradando. Simples assim.

Em todos esses casos o desafio não está no “o que”, mas no “como”. Está em como dar vazão pra isso (tudo) que ecoa aí dentro.

Então, antes de dividir com você algumas verdades que vão te ajudar a chegar mais fácil nesse eco, quero dizer que você pode relaxar e se desprender dessa pressão de ter que descobrir algo.

A grande maioria das pessoas não começa pela sua arte. Elas começam e só chegam nela depois de muito trabalho e dedicação.

A pintura por muito tempo será um mistério, e só vai ser possível defini-la se você se colocar em ação.

Você tem que estabelecer um ponto de partida e entrar de cabeça nisso. No fundo você sabe qual a sua arte, só precisa testar e experimentar até entender perfeitamente como tudo vai se compor.

E quer saber como você se prepara para isso, como descobre sua arte de um jeito leve, sem estagnar no caminho?

 
 

1- Você não precisa ter uma visão para daqui 5 anos.

 

meta5anos

 

Adoro uma expressão em inglês que diz, “Make is-ness your business”, faça da facilidade o seu trabalho.

Não tem porque dificultar tudo e inventar obstáculos logo de cara. Então não, você não precisa começar já com uma visão para daqui 5 anos.

Se puder fazer isso, se tiver esse nivel de clareza, maravilhoso, vai com tudo! Mas às vezes simplesmente não é possível, e isso não tem que fazer da sua vida um drama.

Ter uma visão de longo prazo é muito importante, porque é dessa visão que nasce sua clareza. E da clareza que vem o foco e o planejamento pra fazer as coisas acontecerem.

Então, mantenha as coisas simples e vai com calma alimentando e construindo sua visão.

Até porque, se isso passa a ser um empecilho pra você, uma desculpa pra não sair de lugar, aí deixa de ser importante.

Especialmente se você é uma pessoa de muitas paixões você tem que se livrar desse karma, do contrário vai ter algo sempre te puxando para trás.

Eu sei bem o que é isso. Por muito tempo eu tive apenas pontos de interrogação na cabeça, os dias passando eu sempre lá com a mesma atitude, achando que o plano perfeito cairia do céu. Os planos que eu fazia também nunca eram suficientes… eu sonhava grande e vivia buscando mais, sem nem começar.

E foi assim até o dia em que eu percebi que era exatamente isso que estava me barrando e que muito mais importante do que ter uma visão de longo prazo com o plano perfeito é você se colocar em movimento… subir no palco e experimentar.

Não tem porque ter pressa. Quando você parte pra ação automaticamente você começa a alimentar sua visão, com muito mais propriedade e coerência.

“Fé é dar o primeiro passo, mesmo quando você não enxerga toda a escada” -Martin Luther king Jr

 
 

2 – O que importa é o seu presente

 

bench-555947_1920

Quanto mais noção você tem de onde você está, mais rápido você chegará aonde quer.

É a medida que você começa a experimentar as coisas que seu apetite vai aumentando… você vai se entendendo, novas portas vão se abrindo e aí você criar mais.

É assim que suas visões se expandem e você começa a enxergar coisas que antes nem passavam pelo seu radar. E é assim que você começa a ter um olhar mais especifico sobre o que está fazendo. Um olhar certeiro, que começa a construir visão e clareza.

As maiores frustrações e dores na vida vem de ficarmos resistindo ao momento presente…. “Ai, não esta sendo como deveria”, “Não era isso que eu esperava”.

Você tem duas opções, sempre: resistir ou se engajar.

Não se trata do momento ou das circunstâncias, mas de como você significa isso.

Quando você resiste você cria buracos, que podem ser armadilhas no futuro. Quando engaja, você cria possibilidades.

Coloca toda sua paixão, energia e entusiasmo no que você está fazendo hoje, independente do que isso seja e de onde você esteja.

É assim, mergulhando no agora, tornando-o cada vez mais claro e levando pra longe as resistência que, aos pouquinhos, você vai chegando na sua pintura ideal.

 
 

3 – Tentar inventar a roda não é uma boa escolha

 

wheel

 

A forma mais inteligente de potencializar algo é analisando o que você (ou qualquer pessoa) está fazendo que está dando certo e o que não está.

Anota isso: não vale a pensa gastar tempo e energia tentando criar coisas do zero. Nada é original. Hoje, tudo que fazemos é uma remontagem de outra coisa, uma releitura.

Se a princípio essa ideia te incomoda, dá uma olhada no post que eu fiz sobre o livro Roube como um Artista que você vai entender o que quero dizer e como isso é positivo.

Se nada é original o seu foco não tem que ser em inventar, e sim em inovar.

Se tudo que você pensa em fazer provavelmente já foi feito por outra pessoa, o mais inteligente é aprender com isso e aproveitar o atalho.

Quando você encontra algo que está dando certo não pode nem pensar duas vezes, tem que repetir isso infinitas vezes.

A partir do momento que você se sente familiarizado com seu palco e sua platéia, aí você pode começar a inovar. É aí que você começa a pensar em como deixar a sua marca, em tornar única uma ideia que nasceu como tantas outras.

Você sempre vai encontrar um jeito de fazer isso, pois a arte existe em perspectiva e é isso que a torna única.

Só que tem que estar bem claro pra você que a forma mais inteligente e rápida de chegar na inovação é fazendo o mesmo que quem já passou por isso e teve sucesso fez. Deixe as coisas mais simples e abrace tudo que a vida te oferece assim, pronto. Depois você dá seu toque e inova.

 
 

4 – Toda experiência tem algo a te oferecer

 

experience

 

Sabe aquela ideia de que você realmente só é feliz se, antes de se preocupar com o resultado, aprende a curtir o percurso? Pois é, pura verdade.

E pra você encontrar a sua arte isso também é fundamental.

Errar ou ter que desviar o caminho são peças-chave do quebra-cabeça. E não importa o que você escolha fazer, em algum momento isso vai acontecer. E isso se torna sinônimo de atraso se você não aprende a enxergar que toda situação tem algo a te oferecer, basta saber aproveitar.

Quando falamos em arte a linha entre o sim e o não passa a ser muito tênue. Qualquer imprevisto pode representar um erro ou uma grande oportunidade, depende do seu olhar e da forma como você significa isso.

É por isso que você não pode focar apenas nos resultados, tem que aproveitar todas as etapas de um processo, todo o valor que qualquer experiência pode gerar. O simples fato de estar presente em um lugar pode resultar em uma sacada genial.

É, tirar valor de uma experiência tem tudo a ver com a habilidade de estar presente

Essa com certeza é uma das principais característica de um empreendedor, e sem dúvidas uma das principais lições que eu aprendi (estou aprendendo vai) com o Gabriel.

Ele faz isso com maestria… o mundo pode estar caindo lá fora, mas ele sabe como ninguém parar e se entregar ao momento, seja desde uma conversa com uma pessoa super importante ou com um desconhecido, até alguns minutos de silêncio, reflexão e meditação.

Acredito que é daí que vem tantos resultados, dele estar sempre sensível ao que está acontecendo e pronto pra abraçar as oportunidades.

Não existe perda de tempo se você está presente e com a intenção certa em cada situação, pronto pra apreender algo novo.

 
 

5 – Você precisa ter definido quem você quer atingir

 

Screen Shot 2015-12-20 at 12.59.16 PM

 

Se quando você pensa na sua arte você pensa só em você e não em como pode tocar o outro, essa é a melhor dica de que você não está no caminho certo.

Você pode sentir muito prazer em fazer muitas coisas, mas se você ignora a necessidade de comunicar isso e trata apenas como forma de expressão, é porque essa não é a sua arte.

Nesse caso pode ser um hobby, mas não arte. Porque a arte é comunicação e ela só existe quando chega no outro. É dialogar e não monologar.

Se você está nesse estágio, relaxe e continue experimentando, ousando… quando você encontra sua arte você simplesmente sabe, porque a vontade é de gritar isso pro mundo.

Inclusive, é nessa hora que as pessoas começam a te chamar de louco. É nessa hora que você vai ouvir muitos “Não vai dar certo, porque você não tenta…”.

Deixa falarem, está tudo bem e lindo, porque esse é o sinal 🙂

“Ignorar o que vende não faz de você um melhor artista, mas um artista faminto” – Marie Forleo

Sim, a sua arte vem de você, mas ela fala para alguém. E se ela deixa de falar ela deixa de ter sentido. Por isso é tão importante definir com quem você vai se comunicar… e a partir disso pegar feedbacks, adaptar-se.

Isso mesmo, seu público te diz tudo… quais as mudanças que pode fazer para se comunicar melhor, vender mais e atingir mais pessoas. E se é arte mesmo, você faz. Faz porque você se desprende do ego em busca da mastreia, e porque só faz sentido se for pra conectar o eu e o outro. Pelo menos é dessa arte que eu falo aqui.

Descubra com quem você quer se comunicar, essa é uma grande pista pra você saber se está na arte certa ou não.
E por fim, tenho que te adiantar que depois que você encontra a sua arte, se realmente quer que ela seja percebida pelo outro com seu devido valor, você precisa estar preparado para trabalhar. Muito!

Gosto de dizer #hardwork #comamor, porque quando falo em trabalhar muito não me refiro a tempo, mas à qualidade com que faz as coisas.

Me refiro a fazer tudo com intensidade e consistência. Se você não está dando isso da sua parte é porque provavelmente ainda não está no caminho da sua arte.

É como uma criança que quando ganha um brinquedo novo não quer saber de mais nada e passa dias com o mesmo. Às vezes, no fim até quebra o brinquedo, porque o entusiasmo e a curiosidade é tanta que a criança se coloca num estado investigativo. Ela quer entender a fundo como funciona.

Você também tem que ter essa atitude “investigativa”. Essa é a premissa número 1 pra quem quer viver a sua arte: ser apaixonado por isso e querer sempre aperfeiçoar, masterizar.

Esse é seu papel como artista, se manter coerente com a sua verdade e criar em cima disso algo que chegue no outro e faça a diferença na vida dele. A forma como isso será feito, a pintura ideias, vai sendo construída, aos poucos. E só depende de você tornar isso excitante e envolvente.

Escolhi falar em verdades porque esses não são passos que você tem uma receita para seguir, e sim formas de pensar e, consequentemente, agir. É mentalidade e instinto.

Se você sente que ainda não encontrou a sua arte, espero que essas 5 verdades ajudem a tornar mais leve e gostoso esse processo.

Vou adorar saber aqui nos comentários se alguma dessas verdades não estavam ainda no seu radar e, por isso, te barrando. E também o que você pretende fazer para ser muito mais intenso com a sua arte em 2016 🙂

 

  • Valeu Marina! Muito bom. Acabei de ler enquanto tomava meu café high stakes, às 7 da manhã dessa terça-feira, e seu post me deu muita inspiração. Tanto que destaquei 4 textos que passarão a aparecer a cada dia alternadamente toda vez que ligar o computador:
    ————————————————————————————————————————
    # Mais importante do que ter uma visão de longo prazo com o plano perfeito é você se colocar em movimento
    # Quando você parte pra ação, automaticamente você começa a alimentar sua visão.
    ———————————————————————————————————————-
    # As maiores frustrações e dores na vida, vem de ficarmos resistindo ao momento presente…
    # Você tem duas opções sempre: resistir ou se engajar.
    # Quando engaja, você cria possibilidades.
    # É assim, mergulhando no agora, tornando-o cada vez mais claro e levando pra longe as resistências que, aos pouquinhos, você vai chegando na sua pintura ideal.
    ———————————————————————————————————————–
    # Você não pode focar apenas nos resultados, tem que aproveitar todas as etapas de um processo, todo o valor que qualquer experiência pode gerar.
    ———————————————————————————————————————–
    # Esse é seu papel como artista: se manter coerente com a sua verdade e criar em cima disso algo que chegue no outro e faça a diferença na vida dele.
    ———————————————————————————————————————–

    • Marina Teixeira

      Ahh, que lindo, José. Adorei saber disso!!
      Quero saber depois o efeito causado por essas frases no seu dia a dia. Pode ser? 🙂

  • Luiz Fernando Heiras

    Minha mentalidade sobre a minha arte já estava “definida”, mas com esses 5 passos a reflexão acaba sendo bem mais profunda. Com certeza vou ler esse post de novo e anotar os insights, depois disso vou refletir mais sobre minha arte, quem sabe eu não consigo detalhar ela melhor ou até encontrar uma nova.
    O que eu mais gosto nos seus posts Marina, é que sempre no final tenho aquele momento de ficar uns 10 minutos refletindo sobre o que acabei de ler. É como se a cada texto lido fosse obrigatório pegar uma folha, anotar todos os pontos a refletir e aplicá-los imediatamente. Nem precisa de um PDF de pontos a serem refletidos, a leitura do texto faz isso automaticamente.
    Gratidão ao valor que você gera aqui no seu blog 😉

    • Marina Teixeira

      Haha, que show esse feedback, Luiz.
      Fico feliz de saber porque é exatamente desses minutos de reflexão que surgem as grandes ideias e os grandes aprendizados 🙂

  • Bruno Schuarts

    Muito bom, Marina! Parabéns… A forma sublime como você percebe a arte é inspiradora! Adorei o texto. As 5 verdades são realmente muito verdadeiras!!! rs… Ler tudo isso e ver que você traduziu em palavras tudo que eu sinto, foi especial. Muito grato por você compartilhar sua arte conosco. =)

    • Marina Teixeira

      Que alegria esse comentário, Bruno!
      Fico feliz de saber que as ideias bateram e que foi especial!

  • Heloise Amorim

    Maravilhoso texto! Estou em busca da minha arte , tenho quase certeza de que achei, mas ainda estou no processo de descoberta.
    Beijos , continue escrevendo e ajudando as pessoas !

    • Marina Teixeira

      🙂

  • Victor Acioly

    “Esse é seu papel como artista, se manter coerente com a sua verdade e criar em cima disso algo que chegue no outro e faça a diferença na vida dele.”
    Só digo uma coisa: que frase Phodosóphyca.
    Busco algo que eu curta fazer e que eu possa ganhar dinheiro com isso mas ainda não encontrei. A reflexão do texto está tranquilizando minha mente. Obrigado!

  • Anne

    Que texto incrível! Estive pensando muito sobre isso.. já achei ter encontrado a minha arte um zilhão de vezes e no fim percebi que ainda não era aquilo. Agora com esse texto tive um lampejo pois percebi que todas as “quase” artes que encontrei tem um fator em comum lá no fundo, escondido. O desafio agora é “pintar o quadro”. Gratidão por compartilhar sua arte, realmente me gerou um valor enorme :))