3 motivos pelos quais você vai querer se tornar um expert em completar coisas e se livrar do efeito dominó

 

Alguma vez já passou pela sua cabeça que é possível fazer uma analogia entre a sua produtividade e um jogo de dominó?

O efeito dominó é assim, qualquer movimento para um lado implica em uma subsequência de movimentos nessa direção. Não tem saída, se um mexe todos mexem.

Há algumas semanas eu tive um sonho que me alertou para mais um pilar da minha produtividade que eu estava deixando passar… foi aí que eu pensei no efeito dominó.

Eu vejo (e sinto) a produtividade assim. Quando algo me trava em uma tarefa eu automaticamente comprometo muitas outras. Assim como se eu conserto algo que não vai bem, muitas coisas pegam o embalo e melhoram também.

Como essa analogia surgiu do meu sonho?

Acordei, lembrei do que eu tinha sonhado e optei por guardar o sonho na gaveta para não me abalar. Grande erro! Ele ainda insistiu em se fazer perceber algumas vezes ao longo do dia, mas eu não dei bola (estava sendo forte – era o pensamento inconsciente).

Obviamente nesse dia eu me desfoquei mais do que o normal, mas fingi não perceber. Precisei de uma avalanche de emoções para me tocar. Foi aí o aha-moment, no dia seguinte… uma sequência de atitudes erradas, algumas até afetaram outras pessoas, e isso tudo porque eu estava desfocada e desconectada de mim mesma.

Tinha um fio solto… e era isso que meu sonho estava tentando me dizer, uma angustia que eu vinha camuflando.

Parei para pensar… quanto será que isso já não me atrapalhou sem eu sequer perceber? E quantos outros fios será que eu ainda não amarrei e que podem estar atrapalhando meu desempenho no dia a dia. Atrapalhando minha produtividade, me distanciando da minha arte?

Me preparei para amarrar esse fio e quando o fiz…. boom! Liberdade. Produtividade. RESPIRO.

Os dias seguintes foram de foco laser. A sensação era que eu tinha tirado um peso das minhas costas, uma barreira da minha mente… Voltei a conseguir me imaginar andando num gramado e sentindo o vento passar pelo rosto (pode parecer exagero, mas essa é uma das minhas imagens de liberdade. Pense na sua ? ).

Não é que eu descobri isso só agora. A teoria já estava ali, mas essa ocasião me fez sentir na pele e agora eu posso dizer que uma habilidade muito importante que você tem que desenvolver para ser uma pessoa produtiva é completar.

Completar todo tipo de coisa. Uma conversa que ficou em aberto, uma atitude mal interpretada, uma tarefa deixada pela metade, o e-mail que você abriu mas nem leu…

Pode ser que você ainda não tenha percebido o efeito dominó acontecendo quando você deixa de completar algo, e justamente por isso eu mergulhei nesse post.

Da minha experiência é isso que acontece quando a gente segue a vida deixando fios soltos…

 

1 – Sua energia é sugada

Sabe quando você tem que fazer algo que não sabe nem por onde começar, ou que já sabe de antemão que vai exigir muito de você e aí você fica postergando?

Você deixa ali, o dia todo olhando pra você, sugando sua energia. Não completa (não executa e não tira da mente), até que chega o fim do dia e você não só não fez isso como não fez mais nada – ou pelo menos nada direito?

Pois então, esse é o efeito dominó resultado da síndrome do não completar.

O mesmo acontece quando você briga com alguém, por exemplo, e demora para resolver a situação porque fica deixando o ego falar mais alto.

Consegue mensurar o quanto você gasta da sua energia (e consequentemente perde na sua produtividade e nos seus objetivos) quando fica remoendo dentro de si uma situação… quando fica procurando formas de se justificar para agradar o ego?

Muitas vezes completar não é fácil, mas é sempre o melhor caminho, porque acontece uma vez só. Enquanto você passa dias tentando se justificar ou supondo a atitude do outro, poderia enfrentar o desafio de uma vez e usar toda essa energia em outra coisa.

Que tal? ?

(Isso é ser forte, não deixe seu inconsciente enganá-lo assim como o meu fez. Evitar ou fechar os olhos é fraqueza, é falta de recursos para enfrentar uma situação).

E como sempre, começa nas pequenas coisas… por exemplo, de início pode até parecer inofensiva aquela louça que vai se acumulando na pia, mas se você pudesse contar quantas doses de energia perde toda vez que olha para a aquela pilha de coisa suja e pensa “puts, vou ter que lavar tudo isso”, com certeza não deixaria de levar meia dúzia de coisas logo depois de usar.

Faz o teste por uma semana, ok?!

 
2 – Te tira do seu foco maior = Te puxa pra trás

Quando tem algo ocupando espaço na sua mente você perde seu foco máximo, é inevitável. E eu costumo dizer que toda vez que você para está, na verdade, dando dois passos para trás.

Toda vez que você deixa um fio solto você vai ter que, em algum momento, sair do seu foco para estender mais esse fio.

Foi o que aconteceu comigo. Eu devia estar focada no meu trabalho, expandindo minha arte…. mas não, me deixei desviar por incompletudes do passado e no efeito dominó ainda comprometi outras pessoas.

Sempre as relações humanas agravam as consequências das coisas, então, para não parecer complexo, podemos nos ater aos simples exemplos…

A pilha de louça… ela te tira do seu foco e te puxa pra trás toda vez que você olha pra ela e pensa, por exemplo, “ah, não vou ter tempo de lavar tudo isso, hoje vou ter que comer qualquer coisa na rua”. Um exemplo bobo, mas um exemplo. E com consequências.

Então no fundo é isso que significa deixar fios soltos… estar sempre regredindo, se colocando num estado de inconstância. É o dominó em círculo, que começa onde termina e onde os movimentos são irreversíveis.

 
3 – Afeta sua percepção de si mesmo

Isso é inevitável, quando um padrão de comportamento se instala passamos a considerar que somos isso. E quando o outra nos aponta o dedo e diz que somos isso, fica ainda mais sério.

O não completar se torna uma ameaça para sua autoconfiança e uma barreira para suas potencialidades, pois você mesmo começa a se rotular.

Desenvolve crenças a cada experiência que vive e não consegue digerir, colocar um ponto final.

Por exemplo quando você termina um relacionamento mas não coloca um ponto final. Ou quando vive um relacionamento traumático que não é processado. Tudo isso passa a afetar sua própria percepção de si… você não se permite a reinvenção, não se deixa ser uma nova pessoa num novo relacionamento. Começa a projetar sua crença em todas suas formas de se relacionar.

Em qualquer relação profissional essa é uma habilidade fundamental. Se você é um líder e começa a deixar fios soltos você perde seu time… as pessoas ficam desmotivadas, se desconectam, não se sentem valorizadas e reconhecidas. Assim como, se você está do outro lado, você faz seu líder não confiar em você e não mais enxergar seu potencial.

Desenvolver a habilidade de completar o que quer que seja, tarefas, desafios, relacionamentos, é um dos principais pilares da sua produtividade. Deixar fios soltos é se deixar consumir… pelo medo, pela ego, pelo desafio…

É deixar de viver experiências e aprender. Aprender consigo, com o outro e com o todo.

Nem sempre o ponto final de uma situação é a solução que você deseja que ela tenha… mas certamente é sua liberdade, é você se permitir seguir focado e consciente de si.

Não conseguir completar as coisas não te torna apenas uma pessoa improdutiva e inconstante, mas chega um momento em que você nem mais consegue começar coisas novas.

Entra num círculo vicioso… tudo que vem acaba indo embora porque não tem mais espaço.

Nesse círculo você se torna um colecionador de fios (soltos). Coleciona ideias não realizadas, coleciona atitudes incertas, coleciona relacionamentos não resolvidos…

Sem contar a vulnerabilidade de deixar fios soltos… a qualquer hora ele pode enroscar em algo e te dar um tranco.

E aí você só tem duas opções… ou você se torna esse colecionador ou você enfrenta o desafio e torna isso um hábito.

Na primeira você se torna uma reação do mundo e fica nas mãos das situações. Na segunda você é ação e tem as situações nas suas mãos. Você domina.

Eu escolhi a segunda. Estou aprendendo, criando o hábito, me libertando.

E você, qual escolhe?

 

  • Moises Melo

    otimo poste, vou começar agora mesmo a aplica-lo em minha vida, vlw poe tudo.

    • Marina Teixeira

      Boa, Moises!

  • Marco Aurelio

    Gratidão!!!

    • Marina Teixeira

      🙂

  • Julio Zartos

    Muito bom texto! A natureza é feita de ciclos completos, fechados. Sem fios soltos. Parabéns, vocês do “High Stakes” são TDB!! º/

    • Marina Teixeira

      Isso aí, Julio!
      Haha, obrigada!

  • Lucia Rade

    Marina, grata pelas palavras. Ressoaram bastante para o meu momento. Estou empacada com algumas tarefas incompletas. E como Clarissa Pinkola fala em Mulheres que correm com os lobos, quando nós, mulheres, ficamos empacadas precisamos parar, embalar nossas ideias e reavaliá-las, analisar se o motivo da paralisação não consiste em ideias que se tornaram inadequadas. É o que vocês sempre frisam, se não falta reinvenção, ressignificação. Não devemos amontoar fios soltos de tarefas incompletas, mas também não podemos nos apegar a ideias ultrapassadas que nos bloqueiam a energia e a disposição para seguir em frente. Descartá-las pode oxigenar nosso terreno e liberar espaço para que ideias em potencial floresçam num campo mais fértil. Gratidão pela sua contribuição. Lúcia.

    • Marina Teixeira

      Que bela reflexão, Lucia!
      É isso, nada pode nos empacar… se está empacando ou é porque está solto ou porque já não é mais!
      Grata pela contribuição também!

  • Joyce Mingorance Cavallini

    Ótimo!

    • Marina Teixeira

      🙂

  • Vitor Pol

    Muito bom o post. Me fez rever muita coisa na minha vida e enxergar os fios que estão soltos.

    • Marina Teixeira

      E agora vamos amarrar tudo 🙂

  • Heloise Amorim

    Boa Marina, vou compartilhar. Bjs

    • Marina Teixeira

      Quanto tempo, Heloise!
      Eu ou você sumimos? eheh

      • Heloise Amorim

        hehehe =) Eu dei uma sumida aqui no tudo pela arte mesmo Bjs ótima quarta Marina

  • Andre Ruas

    Show! Algo simples mas que passa de maneira imperceptível, já identifiquei diversos fios soltos. Começarei pelas guias fixadas aqui no chrome! Parabéns pelo post, gerou muito valor.

    • Marina Teixeira

      O simples é sempre tanto, Andre 🙂
      Bora!!

  • Gerson Neto

    Mama! Texto ficou excelente, como Murilo Gun fala sobre conectar as coisas, eu também me fascino quando eu consigo conectar duas ideias. Bem esse ciclo descrito por você vem muito a calhar porque essa semana eu assisti esse video do Geronimo Theml: https://www.youtube.com/watch?annotation_id=annotation_2536196963&feature=iv&src_vid=xarMchfS69c&v=MEdtNj2XmWA
    Bem, ele fala que a gente é o que a gente percebe ser e acabamos criando o nosso mundo, se não percebe que tem q mudar ou resolver você cria um mundo no qual você adia e com certeza vai sugar sua energia já que volta e meia aquela mesma ideia ou sonho ou fio vai voltar. Muito obrigado pelo texto, suas analogias me fascinam muito!

  • Está de parabéns pelo raciocínio e por passar isso com clareza, muito bom o assunto, Marina. O único ponto negativo é na gramática, onde falta algumas acentuações e concordâncias. Mas, no mais, está excelente!

  • É isso mesmo, sou um grande colecionador de ideias não realizadas. Tá mais que na hora de mudar esse quadro, não acha? Eu acho e vou adiante, completar os ciclos, ligar os fios. Obrigado pela bela e consciente mensagem.

  • Helio Braga d’Avila Mendes

    Vc descreveu muitos dos meus momentos de procrastinação.
    Já estou nessa fase de guinada e mudança e seu texto vai me ajudar bastante nessa busca.
    Parabéns pela inteligência e conteúdo!

  • Eber Santana

    Perfeito. Parabéns pelo texto.

  • Lucilene Maidana

    Marina, estou me sentindo exatamente como nesse texto.
    Estou fazendo várias coisas ao mesmo tempo, e tenho a impressão de que está tudo incompleto. É como um sonho que tinha quando criança, onde eu tentava correr de algo, mas não conseguia… parecia que estava em câmera lenta. Era uma agonia!
    Valeu pelo “chacoalhão”! Acho que é esse mesmo o caminho: enfrentar os problemas de frente e resolver o que estiver para ser resolvido.
    Beijo!!

  • Amanda Cunha

    Escolho não deixar mais fios soltos…